Publicado em: qua, fev , 2017

Xavante diz que motorista o expulsou de ônibus


O funcionário de uma associação de direitos ambientais, o indígena Sancler Towara Tsorote, de 28 anos, foi expulso do ônibus em que viajava enquanto passava pela BR-153, nesta terça-feira (7), em Morrinhos, no sul goiano. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o motorista do veículo disse ao jovem que os documentos dele eram falsos e que “que lugar de índio era na aldeia”. O rapaz andou cerca de 10 km até o posto da PRF e contou o que aconteceu aos policiais

Na filmagem, a vítima relata que seguia viagem de forma tranquila, até que o condutor parou o veículo, aparentemente, sem motivo por volta de 7h15.

“O motorista pediu meu Passe Livre e a minha passagem. Quando ele pegou, olhou e falou que o documento era falso e que eu não tinha o direito de viajar. Um pessoal pediu para ver, mas ele não deixou, falou que conferiu, que era falso mesmo e que não me deixaria seguir viagem”, contou o jovem.

Ainda no vídeo, o indígena relata que foi vítima de discriminação após sair do veículo. “Quando eu desci do ônibus, ele jogou a passagem e a carteirinha falando que lugar de índio era na aldeia”, concluiu.

Conforme a PRF, o ônibus fazia o trajeto de Belo Horizonte (MG) para Goiânia. O índio, segundo a corporação, é deficiente físico, já que tem apenas uma das mãos, e tem direito ao Passe Livre. Ele relatou que usou o documento em diversas situações anteriores sem problemas. Da capital goiana, ele seguiria para Barra do Garças (MT), onde mora.

Ainda segundo a PRF, o indígena foi levado para a delegacia de Morrinhos, onde presta depoimento e deve registrar ocorrência contra o motorista de ônibus. Em seguida, ele deve seguir viagem para Barra do Garças.

Do G1