Publicado em: qua, mar , 2017

Vereadores dizem que é cedo para criticar a gestão de Zilomar


A Sessão da Câmara desta terça-feira (14) teve discursos voltados sobre a Reforma Administrativa, onde os vereadores discutiram também vários aspectos da gestão do prefeito Zilomar de Oliveira (PSDB).

Na fala do vereador Jose Sabia (PRB), ainda é cedo para criticar a atual gestão, reconhecendo que não houve tempo suficiente para atender todas as demandas do município.

Para o vereador Roberto Moreira (PP), o prefeito Zilomar Antônio vem sendo duramente cobrado, mesmo com apenas três meses de gestão, algo que não aconteceu durante mais de 12 anos na administração da base de oposição.

Robertinho disse ainda que o prefeito já quitou três folhas de salário em atraso, totalizando cerca de R$ 10 milhões, dívida deixada pela administração anterior.

Segundo Roberto Damasceno, o próprio SINTEGO (Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Estado de Goiás) não agiu com tanta veemência na luta pelos educadores como vem agindo na atual gestão, onde o prefeito já se comprometeu a pagar o Piso Nacional, além da realização do concurso para diretores das escolas.

Por sua vez, o vereador Leirson Cordeiro (PSB), disse que a Reforma Administrativa vem sendo analisada com muita responsabilidade pelos vereadores, e que o prefeito Zilomar, como um bom administrador, não enviaria um projeto que não fosse viável, ou seja, que prejudicasse os servidores públicos efetivos.

O vereador Breno Leite (DEM), disse que o recurso destinado para os servidores comissionados, constante na reforma, vai consumir cerca de R$ 800 mil por mês, e que tal recurso não poderá gerar outros prejuízos aos servidores efetivos, classificando eles como prioritários na administração pública.

Breno disse ainda que alguns benefícios que foram cortados dos trabalhadores da saúde fossem pagos novamente, como salubridades e periculosidade, além do pagamento dos direitos adquiridos.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail