Vereador e secretário disputam benfeitoria nas feiras livres de Jaraguá

As feiras livres de Jaraguá não são muito diferentes das feiras da África, em sua forma mais bruta e coloquial, por assim dizer.

Há mais de uma década as feiras livres de Jaraguá são objetos de ações promovidas pelo Ministério Público de Goiás no sentido de buscar melhoria junto a prefeitura, sem que muita coisa acontecesse.

Não houve padronização das bancas, numeração, registro dos feirantes e muito menos licenciamento sanitário obrigatório, sob pena de cassação da licença.

Vereadores, prefeitos e secretários usam as feiras livres como uma espécie de palanque, onde os discursos são voltados para uma promessa de melhoria, embora elas demorem acontecer, ou na maioria das vezes nem acontece.

Há uma questão política por trás de vários interesses, onde nem sempre a qualidade do comércio ambulante é o objetivo principal, diz parte da população.

Para muitos, o envolvimento de políticos nas possíveis melhorias das feiras livres esta o interesse eleitoreiro, sem ações verdadeiras em prol dos ambulantes e da população em geral.

Não é assim que pensa o vereador Odair Vizzado (PTN). Odair vem lutando em busca de uma cobertura para a feira da Praça do Cigano, projeto que já dura mais de três anos, sem que nada aconteça.

Segundo ele, uma emenda de um deputado de seu partido já está alocada para Jaraguá, porém, em meios aos discursos que somam dezenas na tribuna da Câmara, até hoje não há data definida para a tal cobertura ser instalada.

Odair Vizzado disputa também o mesmo espaço do secretário de Pecuária e Agricultura, Luiz Carlos Macaúba, ou seja, o interesse de melhorar a feira coberta.

Reuniões acontecem constantemente, onde o vereador Odair Vizzado procura se aproximar mais dos feirantes, principalmente na região da Vila São José, local onde se concentra a maioria de seu eleitorado.

Não faltam também discussões e agulhadas entre Odair e Luiz Macaúba. Na última sessão desta terça-feira (26), Vizzado questionou algumas ações do secretário Macaúba sobre a cobrança de licença de funcionamento dos feirantes e sua ausência na reunião entre ele, o prefeito Zilomar Oliveira e os feirantes.

Por enquanto, nem cobertura, nem taxas e nem diplomacia entre os nobres políticos.

Share Button

você pode gostar também Mais do autor