Publicado em: ter, jan , 2017

“Sucesso do Domingão se deve a renovação constante”


Fausto Silva
, um dos maiores comunicadores do Brasil, conversou com nossa reportagem e falou um pouco do futuro do Domingão, que neste ano comemora 28 anos no ar. A atração é líder de audiência em um dos horários mais disputados da TV brasileira.

O apresentador, com passagens pela Record, Gazeta e Band, relembra o início da carreira como repórter esportivo. Fausto Silva ainda cobriu tragédias que marcaram a história do Brasil e também do jornalismo como os incêndios que provocaram dezenas de mortes nos edifícios Andraus e Joelma, em 1972 e 1974.

Já sobre o seu lado amigo dos amigos, o jornalista fala sobre a oportunidade que dá aos colegas que estão começando na carreira, como o apoio que deu a André Marques: “Quando eu vejo um cara que tem cabeça nesse lado (centrado e determinado), eu tento ajudar.”

Balanço do Domingão, 27 anos no ar

“Eu atribuo o sucesso do Domingão a renovação constante. É um mote: ‘renovação constante e insatisfação permanente’. Porque é difícil fazer um programa que você tem que agradar: criança, jovem, adulto e velho. Eu costumo dizer que é um programa supermercado. Esse é o desafio. E em um dia que é complicado. Um domingo, que você tem que levar alegria, especialmente nesses últimos dois anos, que foi bem complicado para os brasileiros.”

Internet

“Eu só falo quando eu vejo quando existe maldade ou burrice. Que tem bastante. Às vezes a pessoa pega uma frase fora do contexto e divulga. O que acontece quando se pega fora do tal contexto ou fora do assunto, não entende e joga isso na rede como se fosse verdade. Isso é o problema. Todo mundo na rede social sofre com isso. Um dia quem sabe a gente vai ter um pouco de ética e principalmente organização. O único problema é esse. É importante o cara saber de quem é o blog, de que jornal, revista é o repórter. Para as pessoas saberem diferenciar os bons profissionais, dos maus profissionais. Da noticia falsa, da noticia verdadeira. Só se beneficia quem é sério, né?”

Relação com André Marques (Fausto incentivou André Marques a ser apresentador)

“Eu gosto muito dele. Têm uns caras que eu tenho essa relação de amizade. Quem tem saúde e felicidade tem a obrigação de passar para os outros. Isso não é para mostrar que é bonzinho. Nada disso! É ser inteligente. Passa ter uma vida melhor para todo mundo. Uma transformação. Então, se eu puder fazer isso, eu faço. Quantos caras arrogantes que vocês conhecem que começaram a carreira simples. Muito humilde e tal. Todo mundo tem projeto. Eu fui repórter gente! Depois, fica famoso dá coice em todo mundo. Eu passei por isso. Eu sei o que é. Quando eu vejo um cara que tem cabeça nesse lado (centrado e determinado), eu tento ajudar. Para que o cara não se perca. Para não cometer os erros que eu talvez tenha cometido com certeza.”

Novidades do Domingão

“O segredo do Domingão é não ficar anunciando e não ficar fazendo toda hora. Claro que teremos bastante coisa para fazer, mas ficamos o tempo todo inquieto. É difícil! Nem sempre acerta, mas sempre tem a vontade de acertar. A vontade de acertar e de mudar é o grande segredo da vida.”

2016, um ano que não terminou

“Foi positivo em relação ao trabalho, a saúde, essa coisa. Mas do resto. Não adianta você estar em uma vida boa, se você vir que a maioria não está com a vida boa, o país não está com a vida boa. Ai, você fala: ‘pô, meu! Não é legal isso’. Enfim.”

Crítico político

“Tem uma galera jovem que está a fim de combater a corrupção. E, levar a sério tudo isso. Se todos os artistas que tem certa influência começarem a falar o que sentem, vai haver uma mudança. Tem gente que fala que não gosta de politica, que não entende de politica e tudo mais. Politica você faz toda hora. Você está no banheiro está fazendo politica. Então, não tem jeito.”

Um recado para os leitores

“Fica aqui registrada a minha admiração, meu carinho e principalmente a esperança de todos nós no verbo: ‘esperançar’. Não é o verbo de esperar. O país só vai ter confiança quanto tiver esperança. Então nós temos que virar esse jogo. Para esse país voltar a ser decente para todo mundo.”