Sem apoio do poder público, ONG de proteção aos animais pode fechar

Sem recursos suficientes para cuidar dos animais abandonados por seus donos, a Associação de Proteção dos Animais (APA), com sede em Jaraguá pode fechar as portas.

Duas ONGs atuam hoje no município, onde centenas de cães e gatos recebem cuidados, alimentação e medicação.

Um dos protetores de animais, o ativista João Luiz Soares, disse que já não pode bancar a despesa de cuidar dos animais que hoje estão na APA, alegando dificuldades financeiras.

Não há ajuda de forma rotineira por parte dos órgãos públicos, como da Prefeitura e do Ministério Público, e as poucas doações que chegam não atende a necessidade da ONG.

Na última Festa de Exposição Agropecuária, a Prefeitura de Jaraguá fez a doação de alimentos que foram entregues como entrada em um dos shows para a duas ONGs existente em Jaraguá, ajuda que não representou muita coisa diante dos desafios diários.

O caso só agrava com o momento econômico, já que fica difícil encontrar doadores de alimentos e medicamentos para os animais.

A APA tem hoje 47 animais acomodados em uma área doada pela Prefeitura com requerimento do Ministério Público de Goiás.

“Não temos condições de tirar dinheiro do bolso para manter o canil”, disse o ativista João Luiz Soares.

Os animais estão em fase de transferência para outra ONG sediada no município, e que também passa por momentos de dificuldades pela falta de recursos.

Não há por parte da Prefeitura de Jaraguá programa de controle de zoonoses, ainda que projetos foram apresentados por representantes de ONGs, onde a castração dos animais seriam uma opção viável e mais adequada para o controle da população animal, propostas sem um acordo firmado.

Nota de esclarecimento:

Após a publicação da matéria, a direção da APA disse que não recebe ajuda rotineira da Prefeitura, mas do Ministério Público sim, sempre que solicitado. Sobre a transferência de animais para outra ONG, a representante disse que não há esse interesse, o que existe é uma vistoria que foi solicitada pelo próprio MP nas ONGs, no sentido de estudar a melhor forma para que a APA possa continuar recolhendo animais, ainda com as dificuldades.

Share Button

você pode gostar também Mais do autor