Publicado em: qua, maio , 2017

Governo utilizará 1,5 mil militares para cumprir decreto de Temer


O Ministério da Defesa informou nesta quarta-feira (24) que serão empregados 1,5 mil militares para cumprimento do decreto de garantia da lei e da ordem no Distrito Federal – 1,3 mil do Exército e 200 fuzileiros navais.

Todos os homens são de unidades militares de Brasília, informou a assessoria do ministério.

De acordo com o governo, o decreto será revogado quando se considerar que a ordem estiver restabelecida.

O uso das Forças Armadas para a chamada garantia da lei e da ordem (GLO) foi autorizado por Temer após milhares de manifestantes ocuparem a Esplanada dos Ministérios para pedir a saída dele do governo. O protesto terminou com 7 presos, 49 feridos e prédios públicos queimados e depredados.

Ao anunciar a assinatura do decreto por Temer que autoriza o uso das Forças Armadas, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou que a decisão era motivada por pedido do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Nesta quarta, Maia disse que pediu ao presidente Michel Temer o emprego da Força Nacional – e não das Forças Armadas.

De acordo com a assessoria do Ministério da Defesa, não há efetivo suficiente de agentes da Força Nacional que pudesse ajudar a controlar a manifestação em Brasília.

Por isso, segundo o ministério, a solicitação do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não pode ser atendida. A solução, diante da falta de condições da PM do Distrito Federal para manter o controle da situação, foi convocar os militares.