Publicado em: seg, jul , 2017

Em estado de fome, mulher protesta e depreda fundação social

Fundação trabalha com o Programa CadÚnico para tirar pessoas das desigualdades, conforme foto


Uma moradora de Jaraguá, em estado de fome, realizou um protesto e quebrou vários objetos na Fundação Social Grace Machado, órgão da administração municipal, presidida pela primeira-dama Rubia Oliveira, que também é secretária de saúde do município.

Segundo a mulher, em uma entrevista ao radialista Eduardo Almeida, ela está passando fome, e, sem ter o que dar para os filhos, procurou por três vezes a Fundação Social do município em busca de ajuda, porém, não foi atendida.

Em meio à entrevista, a mulher disse que no momento em que quebrava objetos no órgão social, usando um capacete, ela pedia para os servidores chamar a polícia.

“É bom que chame mesmo a polícia, já que na cadeia tem comida, diferente do que estou passando agora, com meus filhos”, disse.

A mulher disse ainda que está trabalhando como costureira, e que não é uma pessoa sem ocupação.

Depois de acidentar em uma moto, a senhora diz que busca apenas um direito junto à prefeitura. No fim da entrevista, a mulher disse que recebeu uma pequena cesta de alimento, insuficiente para cuidar dos filhos.

Programa social

Dois meses antes, a primeira-dama, Rubia Oliveira, que também preside a Fundação Grace Machado, realizou palestra onde o discurso foi as ações sociais de obrigatoriedade dos municípios, por meio do CadÚnico.

Uma nota postada em redes sociais, informa que o CadÚnico, por meio da Caixa Econômica,  é porta de entrada para vários benefícios do Governo Federal e Estadual, e também uma forma do governo conhecer a realidade socioeconômica dos municípios para traçarem políticas públicas voltadas para família de baixa renda, diminuição das vulnerabilidades, através dos benefícios de transferência direta de renda.

Opinião pública

O fato não passou despercebido em redes sociais, onde parte da população criticou a falta de valorização de políticas públicas voltadas para o meio social. Para outras, a prefeitura não tem obrigação de dar amparo à todas as pessoas que precisam de ajuda.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail