Criminosos mortos em Caldas estavam com armas da cadeia de Jaraguá

A Polícia Civil já iniciou o trabalho de investigação para apurar ligações criminosas da quadrilha que levou terror à cidade de Caldas Novas durante a noite da última terça-feira (16). A cidade fica a 165 quilômetros de Goiânia e foi o destino escolhido por bandidos que alugaram uma casa e planejaram uma série de assaltos. O último crime acabou com troca de tiros, três policiais feridos e todos os bandidos mortos. Uma arma pode levar polícia ao restante dos componentes do bando.

A espingarda calibre 12 (AIB30006648) encontrada com os criminosos de Caldas Novas faz parte do patrimônio da Secretaria de Segurança Pública. Essa é uma das seis armas roubadas durante o resgate de dois presos em Jaraguá em dezembro passado. Outros 13 criminosos aproveitaram a ação que libertou dois presos de grande potencial criminoso e também fugiram. Toda a ação foi registrada por vídeo do sistema de monitoramento da unidade.

O delegado que investiga o caso, Ulisses Valentim, disse que três dos criminosos saíram de Anápolis e foram até a cidade de Caldas Novas, onde dois outros bandidos já haviam alugado uma casa. Os bandidos são vistos em imagens de monitoramento de um supermercado fazendo compras para manter a quadrilha durante um período longo na cidade. A autoridade policial confirmou que a arma é uma das levadas dos agentes penitenciários de Jaraguá.

Resgate de presos em Jaraguá

Os criminosos invadiram o presídio e renderam os agentes. Todos foram amarrados e colocados em uma sala, sem as armas da unidade. Quatro revólveres que estavam com os agentes e duas espingardas calibre 12. A Secretaria de Segurança Pública, que administrada as penitenciárias à época, disse que a intenção era o resgate de Ariel Pedroso da Silva, 23, e Roberto Augusto Rodrigues Mendes, 25. (Informações do Mais Goiás)

Veja as imagens do resgate

 

Share Button

você pode gostar também Mais do autor