Publicado em: sex, maio , 2017

Cora Coralina é homenageada em ambiente da Casa Cor Goiás 2017


A poetisa Cora Coralina tem sua história representada em um dos 41 ambientes da Casa Cor Goiás 2017, em Goiânia. Participando pela quinta vez do evento, as arquitetas Náira Sá e Andréia Spessatto foram as responsáveis pelo projeto. A “Sala de Cora”, como foi denominada, trouxe, em detalhes, pontos que marcaram a vida e a obra da escritora. O ambiente pode ser visitado até o dia 21 de junho, último dia de evento.

Cora Coralina, que na verdade de chamava Anna Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, nasceu em Cidade de Goiás no dia 20 de agosto de 1889. Ela começou a escrever seus primeiros textos aos 14 anos, que mais tarde foram publicados em jornais de Goiânia e de outras cidades. Em 1965, ela teve o seu primeiro livro, intitulado “Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais”, publicado, já aos 76 anos de idade. Considerada uma das mais importantes poetisas e escritoras brasileiras, ela morreu em Goiânia, em 1985.

Para fazer a releitura da vida de Cora, as arquitetas visitaram a casa em que ela morou na cidade de Goiás e pesquisaram a fundo sobre a vida dela. De acordo com Náira, foram usadas cores e linhas elegantes, misturando o clássico e o moderno, um pouco da personalidade, da vida e da obra da poetisa.

“Quando tivemos a ideia, pensamos em um conceito no ambiente que trabalhasse com tons mais pastéis, madeira para dar aconchego, ter uma pegada mais clássica, tradicional, mas, ao mesmo tempo, não perder o ar contemporâneo do ambiente. A gente começou a fazer pesquisa de quem poderíamos homenagear no estado e foi ai que decidimos fazer a ‘Sala de Cora’. Fizemos pesquisa de campo, da vida dela, na casa dela, do cotidiano e trouxemos esses elementos para o nosso espaço”, disse a arquiteta.

Segundo Náira, após as pesquisas, as arquitetas definiram pontos relevantes da vida de Cora que não podiam deixar de serem representados no ambiente, como o gosto pela natureza, por doces e, claro, pelos poemas.

Na decoração do cenário, Náira conta que usaram plantas tradicionais para representar o jardim de Cora e utilizaram plantas simples, como jasmim manga, cacto e avenca, que se usavam frequentemente entre as décadas de 60 e 80.

“O jardim dela era maravilhoso. Ela adorava planta, e isso é bem visível lá em Goiás, então, usamos várias para representar a vegetação e, claro, a flor preferida dela, que era a rosa. Fizemos uma brincadeira no chão, com o doce, porque ela era doceira além de uma grande poetiza, e brincamos, deixamos a flor preferida dela e colocamos os livros e os tachos no chão e conseguimos unir a vida dela num cantinho”, conta.

Além de ver a decoração, no ambiente os visitantes também podem ler alguns poemas de Cora, que são mostrados em um slide, refletidos na parede.

Infância

A arquiteta lembra que Cora escrevia muito sobre a infância e, em seus poemas, sempre se referia a um balanço. Por isso, este foi um dos destaques do ambiente.

“Ela sempre se lembrava de um balanço e ele sempre remetia a infância dela, então, pensamos em como pontuar um balanço de uma maneira mais despojada, porque consideramos Cora uma mulher a frente de seu tempo, por isso, queríamos um ambiente contemporâneo, com uma proposta atual, então, conseguimos trazer o balanço num conceito bem despojado, bem contemporâneo, num estilo diferente que foge do tradicional”, relata Náira.

Entre os pontos que foram projetados especialmente para refletir a imagem de Cora, segundo a arquiteta, está o piso de madeira, igual ao da casa dela, as cores das paredes, que trazem um aconchego, além de objetos como a máquina de escrever, o lenço e até os óculos de Cora.

“Cada cantinho aqui foi pensado, realmente, para a Cora. Até o abajur, que simula uma saia, como o ambiente é feminino, escolhemos para dar a referência no ambiente. Ela era muito simples, mas muito rica em conhecimento. E essa riqueza trouxemos em detalhes como o mármore branco, o lustre de murano, que é muito rico, feito artesanalmente, a mão, então, a ideia era simbolizar a riqueza dela nas poesias, e a gente trouxe esses elementos”, disse.

Satisfeita com o resultado final, Náira acredita que, junto a outra arquiteta, conseguiu representar Cora dentro do cenário proposto. “Ficamos muito feliz de poder conhecer a mais da vida de Cora ficamos satisfeitas porque a gente conseguiu reproduzir alguns elementos que ela tinha no cotidiano aqui no nosso espaço, então, quem souber a vida dela, quem lê os poemas, quem for admirador de Cora vai perceber que esse ambiente foi feito com bastante carinho para ela”, finaliza a arquiteta.

Casa Cor Goiás

A 21ª edição da Casa Cor Goiás começou no dia 12 de maio, em Goiânia, com o tema “Foco no Essencial”. No total, serão exibidos 41 ambientes decorados e projetados por 54 profissionais. Entre os destaques está o inédito “Espaço do Criador”, que terá a exposição de dois bois vivos, revezados durante todos os dias da mostra, que vai até o dia 21 de junho.

Do G1 Goiás

Serviço:
Casa Cor Goiás 2017
Data: De 12 de maio a 21 de junho
Local: Colégio José Carlos de Almeida, que fica na Rua 23, Centro, Goiânia
Ingressos: R$ 46 (Inteira), R$ 23 (Meia), R$ 150 (Passaporte). Estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada, mediante a comprovação
Horários da bilheteria: Terça à sexta-feira, das 16h às 22h. Sábado, domingo e feriados das 12h às 22h

* Danielle Oliveira é integrante do programa de estágio entre a TV Anhanguera e Faculdades Alfa, sob orientação de Elisângela Nascimento.